Portugal é conhecido pela sua rica gastronomia e vinhos saborosos, e a região do Alentejo é um verdadeiro tesouro para os amantes da boa mesa. A gastronomia do Alentejo é rica em sabores autênticos e pratos tradicionais. Os ingredientes locais, como carne de porco, cordeiro, azeite, pão alentejano e ervas aromáticas, são a base de muitas receitas. Pratos icônicos incluem açorda alentejana, migas, ensopado de borrego e sopa de cação. O Alentejo é também famoso pelos seus queijos, como o queijo de Serpa e o queijo de Évora.

A gastronomia alentejana não só satisfaz o apetite dos visitantes, mas também desempenha um papel importante na promoção do turismo na região. Através da oferta de experiências gastronômicas autênticas, os destinos alentejanos conseguem atrair turistas em busca de uma verdadeira imersão cultural. Além disso, a valorização dos produtos locais e da cozinha regional contribui para o desenvolvimento econômico da região e a preservação das tradições culinárias. A comida é uma parte essencial da experiência de viagem e, é uma forma deliciosa de conectar-se com a tradição e a identidade local.

A região do Alentejo é uma das principais produtoras de vinho em Portugal. Seus vinhos tintos, brancos e rosés são reconhecidos internacionalmente pela sua qualidade e sabor. Castas como Trincadeira, Aragonez, Alicante Bouschet e Antão Vaz são amplamente cultivadas na região, resultando em vinhos encorpados, aromáticos e com boa estrutura. Começa a expressar-se em alguns locais alentejanos o vinho da talha, nomeadamente em Cabeção, Vidigueira, Reguengos ou Cuba, entre outros.

Os vinhos do Alentejo criaram uma rota na região onde estão alguns dos muitos produtores alentejanos (cerca de 60), a Rota dos Vinhos do Alentejo (Adegas na Rota dos Vinhos do Alentejo – CVRA) onde podemos comprar e/ou visitar as adegas e conhecer melhor o seu fabrico. É uma experiência apreciada não só por portugueses mas por estrangeiros, devido ao fato que se produziu em 2022, no Alentejo cerca de 32.721.150 litros (volume, segundo os dados do Instituto da Vinha e do Vinho).

Assim, podemos dizer que aliar a gastronomia, o vinho e o alojamento permite termos um produto turístico enoturismo. Uma tipologia que tem crescido ano após ano, com muitos aficionados no prazer de beber e comer boa comida tradicional, e dormir num bom alojamento no campo, na sua maioria junto às vinhas.

Seja vinho Alentejano ou de outra região gosto de apreciar e degustar com comida regional, é uma experiência enriquecedora como é identitária de uma região. Cada vez mais aprecio esta junção de produtos regionais de qualidade em zonas turísticas pouco expressivas.

Deixe um comentário